Método KonMari: 8 dicas para organizar a casa com Marie Kondo

Marie Kondo é uma especialista em arrumação conhecida em todo o mundo e nos propõe uma nova forma de enxergar os itens da casa

0

Marie Kondo se tornou famosa no mundo todo por conta do método KonMari desenvolvido por ela. Trata-se de uma maneira eficiente de organizar a casa, liberando excessos e organizando o que temos com praticidade. O grande diferencial da técnica é que, se feita corretamente, precisa ser realizada apenas uma vez. Além disso, o método KonMari é completamente adaptável aos moradores da casa, que se desfazem apenas dos objetos que não trazem alegria.

Quem é Marie Kondo?

Marie Kondo (Foto: reprodução)

 

Marie Kondo é especialista em arrumação e autora do livro A Mágica da Arrumação, o qual já vendeu milhões de cópias em todo o mundo. A autora conta que aos 5 anos de idade descobriu seu amor pela organização. Com uma abordagem espiritual e adaptável para cada casa, ela conquista clientes pelo mundo todo. Para ter um atendimento de Marie Kondo é preciso aguardar em uma lista de espera por até 3 meses.

No começo de 2019 a Netflix produziu uma série com os bastidores de como acontece a arrumação proposta pela especialista. Quem quiser conhecer mais sobre ela e seu método, pode assistir a série e observar como funciona. Certamente você vai pensar seus hábitos de consumo e acumulação após assistir a série, ler o livro ou apenas ter acesso aos ensinamentos de Marie Kondo.

8 dicas de Marie Kondo para organizar sua casa com o método KonMari

O método KonMari faz sucesso no mundo todo e não é difícil encontrar depoimentos de pessoas que transformaram suas vidas com ele. O processo de arrumar a casa, abrir espaço e ter tudo organizado também traz muitas transformações nas vidas de quem abraça o método. Por isso, selecionamos 8 dicas para começar a arrumar a sua casa com o método KonMari.

1. Organize por categorias (e não por cômodos)

O método de Marie Kondo é efetivo principalmente por não organizar por cômodos. Quando a organização é feita em um cômodo por vez é mais difícil conseguir terminar. Não são incomuns os casos em que as pessoas nunca conseguem colocar sua casa em ordem, por passarem tempo pulando de um cômodo para outro. Veja quais são as categorias do método de Marie Kondo.

  • Roupas: aqui entram também acessórios, calçados, bolsas, entre outros itens relacionados à vestimenta;
  • Livros: além de livros também entram revistas, cadernos antigos, jornais, entre outros do tipo;
  • Documentos: papéis em geral são organizados nessa categoria. Contas antigas, recibos, planilhas e se desfazer de manuais de usuário que você nunca usa. Todo tipo de documento e papel entra aqui;
  • Komono: palavra japonesa que significa “miscelânea de coisas”. É a maior categoria e nela entram itens diversos como utensílios de cozinha, itens de jardinagem, aquele seu quartinho da bagunça, brinquedos das crianças, entre outros;
  • Objetos com valor sentimental: fotos, presentes sem uso, lembranças e qualquer objeto que tenha valor sentimental.

As categorias também servem para guardar as coisas sempre no mesmo lugar. Mantenha o mesmo tipo de roupas sempre juntas, livros na mesma estante, documentos reunidos em um só lugar… Tudo isso serve para você conseguir encontrar quando precisar, além de guardar e organizar com mais facilidade.

2. Isso me traz alegria?

Talvez a dica mais fundamental de todas seja essa. O método KonMari é completamente adaptável à sua realidade e baseado em como os itens fazem você se sentir. Ao organizar a casa e decidir se um item fica ou vai embora, Marie Kondo propõe que você reflita profundamente sobre como aquele objeto te faz sentir. Tá tudo bem se durante o processo você tiver dúvidas, principalmente em relação às roupas e objetos sentimentais. Nestes casos é possível dividir em três partes: o que fica, o que vai embora e o talvez, que pode ser analisado antes de terminar a categoria.

Ao se deparar com a dúvida, se pergunte: “isso me traz alegria?”. Se não, Marie Kondo sugere que você agradeça e mande embora. Tudo que vai embora deve passar por um agradecimento antes, afinal, aquele item pode já ter sido muito importante para sua história.

3. Dê adeus aos livros que nunca leu

(Foto: Pexels)

Você é do tipo que nunca termina de ler um livro? E ainda sim continua comprando mais livros que nunca vai ler? Marie Kondo alerta que eles precisam ir embora. Que tal doá-los para quem vai ler? Ou então, também é possível vendê-los pela internet e até mesmo conseguir um dinheiro extra.

4. É preciso se livrar de alguns itens de valor sentimental

Sim, aquelas cartas, cartões, fotos e outros acúmulos sentimentais precisam ir embora. Para saber o que vai embora e o que fica, reflita profundamente e observe como se sente diante dessas lembranças. Mantenha apenas as memórias que te trazem alegria. Nada de ficar guardando objetos que te remetem ao passado e ficar lembrando com tristeza. Pense que aquilo que está partindo já cumpriu o propósito que deveria cumprir e esse ciclo se finalizou. O que vale são as lembranças na sua mente.

5. Aproveite itens para organizar

Não é preciso gastar horrores com caixas organizadoras, cabides e prateleiras. Marie Kondo alerta que esses itens mais podem atrapalhar do que ajudar. A não ser que os itens fiquem à vista e precisem de caixas bonitas, elas não são necessárias. Marie Kondo nos ensina a aproveitar tudo o que temos: caixas de presente, de calçado e até mesmo as de papelão de encomendas podem ser reutilizadas. Além disso, aproveite outros recursos que você já tem como gavetas de armários e prateleiras.

6. Não empilhe

Feita a seleção do que fica e do que vai, é hora de guardar tudo. Deixar tudo visível é garantia de usar tudo que você tem e manter apenas aquilo que tem utilidade. Roupas empilhadas dificultam, fica difícil de encontrar e geram bagunça com facilidade. Quem nunca deixou de usar uma peça de roupa porque esqueceu que tinha? Além disso, imagine o trabalhão que é desarrumar e arrumar a pilha toda vez que deseja usar essa peça. Mantenha tudo visível!

7. Dobre da maneira correta

(Foto: Pexels)

Além de manter tudo bem visível, é preciso dobrar da maneira correta para que tudo fique prático e bem organizado. No caso das meias, Marie Kondo não recomenda os tradicionais bolinhos. Afinal, eles ocupam muito espaço, além de estragar o elástico da meia com o tempo. A melhor opção é sobrepor um pé sobre o outro e dobrar ao meio. Para camisetas e blusas, ela ensina a dobrar em formato de retângulo, que quando bem dobrados conseguem parar em pé sozinhos. Ou então, em rolinhos.

8. Arrume sua bolsa todos os dias

Sua bolsa é daquelas que vivem cheias de sujeira e acúmulo? Panfletos, balas, cupons fiscais, moedas, tudo espalhado dentro da bolsa dificulta muito seu dia a dia. Separe um lugar para colocar os itens que carrega dentro da bolsa: chave de casa e do carro, carteira, estojo de maquiagem… Tudo isso deve ter um local para ser armazenado em casa. Assim, fica mais fácil manter a limpeza, a organização e também para trocar de bolsa no dia seguinte.

Para organizar suas bolsas, Marie Kondo indica guardar uma dentro da outra para poupar espaço. Dessa forma elas também ficam todas juntas, bem mais prático.

O método KonMari é uma ótima opção para tentar colocar em prática na sua casa. Parece difícil, mas Marie Kondo sempre diz que seu método ajuda a mudar seu jeito de ver o mundo e as coisas, além de organizar a casa. Afinal, esse método também faz refletir profundamente sobre os hábitos de consumo. Afinal, a organizadora nos convida a perceber o que realmente nos traz alegria e o que não. O que cabe em nossas casa e o que é exagero.

Se você gosta de ver sua casa sempre organizada, confira também como dobrar lençol de elástico e facilitar sua vida.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa nova política de privacidade. Tudo bem Mais detalhes