Rosa do deserto: como cuidar e curiosidades sobre a planta

A planta leva pelo menos 2 anos para produzir flores, mas pode viver durante muitas décadas e chega até 4 metros de altura

0

Rosa do deserto é o nome popular da espécie Adenium obesum, originária da região sul da Arábia e da África Oriental. Recebeu esse nome por conta de sua resistência aos ambientes áridos, incluindo os desertos. Por isso, um dos principais cuidados com a planta é não deixar o seu solo encharcar. Saiba como cuidar da rosa do deserto.

Como cuidar da rosa do deserto

Foto: divulgação/Rosas da Dany

As rosas do deserto são originárias de ambientes com baixa umidade e bastante calor. Por isso, é preciso considerar essas características ao cuidar da planta. Nas estações frias, é preciso manter a planta em ambientes fechados, pois não tolera temperaturas menores do que 14 graus. Confira mais detalhes.

Iluminação

Quando falamos em luz solar, a rosa do deserto é bastante exigente. A planta precisa receber pelo menos 6 horas de incidência de luz solar direta para que produza flores. Caso contrário, será difícil que a planta se desenvolva ou pode chegar a não produzir flores. Por isso, mantenha a planta em ambiente externo ao sol pleno, ou então, quando dentro de casa, aposte em deixá-la em uma janela. Se notar o estiolamento (crescimento anormal) pode ser falta de sol.

Temperatura

A rosa do deserto é originária de regiões quentes e por isso, não tolera o frio. As baixas temperaturas deixam o seu metabolismo lento e a planta entra em estado de dormência. É comum que não produzam flores nas estações frias, mas é preciso tomar cuidado com temperaturas inferiores aos 14 graus. Não deixe a planta exposta ao frio intenso e tome cuidado com as geadas. Se possível, deixe-a no ambiente interno e com maior incidência de sol possível. Outro ponto a se observar é diminuir as regas.

Regas

Mantenha o solo sempre úmido, mas nunca encharcado. Para evitar que encharque, prepare o solo de forma que fique bem drenado e com escoamentos no vaso. Nas estações e regiões mais quentes, as regas podem ser todos os dias. Mas é preciso espaçar mais as regas no inverno e no clima chuvoso. Tome cuidado para que as raízes da planta não apodreçam.

Substrato

O substrato para rosas do deserto é bem específico, mas por conta da popularização da espécie no Brasil é bem fácil encontrar. A principal característica do substrato é ser bem drenável, pois a planta pode encharcar com facilidade. Além disso, deve ser adubada com frequência, pois o solo precisa ser rico em potássio, fósforo e cálcio. O solo drenável perde facilmente seus nutrientes, portanto, lembre-se de adubar ao menos a cada 3 meses.

Identificando possíveis problemas

É comum que quando você leva a planta para a sua casa ela perca algumas folhas e flores, afinal, ela está se adaptando a um novo ambiente. Espere que a planta se recupere para podar ou replantar. Tome cuidado com as podas e se precisar dar formato ao crescimento, utilize arames e barbantes para ancorar. Se precisar podar, aplique um pouco de canela em pó no ferimento para impedir a propagação de microrganismos.

Raízes apodrecendo

Raízes podres devido às regas excessivas são o problema mais comum. Se notar que o caule está murcho e amolecimento, pode ser um grande sinal de que as raízes estão podres. Mas mantenha a calma, pois o problema quase sempre tem solução! Remova com cuidado sua planta e observe as raízes. Se notar que apenas algumas partes estão moles, retire-as com a ajuda de uma colher. Depois, pendure a planta e deixe por volta de 5 ou 6 dias até que as feridas cicatrizem. Pode aplicar canela em pó para evitar os microrganismos. Quando as raízes estiverem saudáveis a planta pode ser replantada normalmente, em um novo substrato.

Caule murcho também pode ser falta de água

Se o caule está murcho, mas não está amolecido, o problema pode ser falta de água. Se o caule está rígido e enrugado é bem provável que a planta esteja sofrendo com a falta de água. Assim, faça uma rega de emergência, deixando o solo submerso por alguns minutos.

Controle de pragas

A praga mais comum de aparecer na rosa do deserto é a cochonilha, um pequeno besouro que se agrupa com outros, formando pontos brancos e com aspecto felpudo. Aposte em fumo líquido e óleo de neem para retirar. Se estiver em apenas algumas regiões, basta remover com um pano macio e água.

Quanto tempo vive a rosa do deserto?

A rosa do deserto pode viver tranquilidade durante algumas décadas, nas condições ideais de cultivo. Então a morte da planta por causas naturais não é uma questão para se preocupar, pois é uma planta que vive durante muitos anos. No entanto, ela leva pelo menos dois anos para começar a produzir as primeiras flores, pois seu crescimento é lento.

Até que tamanho chega?

Foto: divulgação/Viva Decora

Plantada diretamente no solo e em seu local de origem, a rosa do deserto surpreende, pois pode chegar até os 4m de altura! Transformam-se em lindas árvores, que lembram muito os baobás. Mas levam décadas até chegarem a este tamanho. Nos vasos, no entanto, a planta não tende a crescer tanto assim.

Qual o preço?

rosa do deserto
Foto: divulgação/Rosas da Dany

Se você pensa em comprar uma rosa do deserto, saiba que há opções para todos os tipos de bolsos. As mudas menores e sem flores são encontradas a partir de R$10. As mudas pequenas e que já produzem flores custam em torno de R$40. Já as mudas maiores e com flores podem ser encontradas a partir de R$70. Contudo, há opções que passam dos R$100, tudo depende do tamanho e também da cor de suas flores.

Confira também como cuidar de samambaia.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa nova política de privacidade. Tudo bem Mais detalhes