Cólica em recém-nascido: saiba como aliviar e acalmar o bebê

O principal sinal de cólica do lactente é o choro inconsolável, em uma criança previamente saudável, que não é explicado por outras causas como fome, fraldas que precisam de troca, frio, calor, dentre outros fatores do cotidiano.

0 156

A realidade é que todos os bebês choram: é a melhor (e única) maneira de eles comunicarem suas necessidades nesta tenra idade. Assim também é o choro de cólica – aquele mais agudo e sofrido, em que o bebê aparenta dor e desconforto. Mas calma, a seguir você vai saber como aliviar a cólica em recém-nascido e entender quais são as causas.

O que é a cólica em recém-nascido?

Existe uma definição teórica na literatura de Wessel (1) sobre a cólica do lactente, como é chamado o bebê que ainda mama, que consiste em dizer que “cólica é a apresentação de irritabilidade, choro inconsolável ou agitação, por pelo menos três horas por dia, em pelo menos três dias da semana, por pelo menos três semanas, em crianças saudáveis”.

Costumamos dizer que a cólica é comum da terceira semana de vida aos três meses de idade, aproximadamente. Porém, você sabe porque acontece a cólica?

Quais são as causas de cólica nos bebês?

Ainda não conhecemos realmente quais são as causas da cólica, mas acredita-se que os fatores causadores/influenciadores são:

  • ambientais durante a gestação, incluindo a alimentação da mãe;
  • imaturidade dos sistemas neurológico e digestivo do bebê;
  • intolerância à lactose;
  • mudanças hormonais do intestino;
  • mudança da colonização das bactérias do intestino do bebê.

Os bebês durante a gestação têm seu sistema digestivo ainda em formação e colonizado pelas bactérias que a mãe possui, mas quando nascem a flora bacteriana tende a mudar, o que pode provocar maior motilidade intestinal (movimentos do intestino), levando a dor intestinal.

Existe relação de causa com a alimentação do bebê e da mãe?

Estudos comprovam que bebês que recebem aleitamento materno exclusivo apresentam menos cólica que os que recebem fórmula infantil. Por isso, não se justifica suspender aleitamento por o bebê apresentar cólica.

Em relação à alimentação materna, não existe nenhum estudo que contraindique algum alimento durante a amamentação. Quem nunca ouviu: “não coma feijão, chocolate, batata, leite, arroz, porque vai dar cólica no bebê”?

O fato é que a mãe não deve interromper nenhum alimento que já for do seu cotidiano, até porque a mãe precisa estar bem nutrida para amamentar. O que se sabe é que o consumo de produtos que contêm cafeína deve ser moderado, uma vez que se sabe que algumas partículas podem atravessar pelo leite e provocar um estímulo para a cólica. Entretanto, em nenhum momento falei sobre cessar o consumo, mas sim em moderação!

Existem ainda alguns estudos em desenvolvimento que afirmam que mães que consomem mais de um litro de leite de vaca ao dia podem influenciar na cólica dos seus bebês, mas tais estudos ainda não deixam claro se acontece somente em bebês com intolerância à lactose ou não.

O fato é que a mãe não deve interromper nenhum alimento que já for do seu cotidiano, até porque a mãe precisa estar bem nutrida para amamentar.

Como identificar que seu bebê está com cólica?

O principal sinal de cólica do lactente é o choro inconsolável, em uma criança previamente saudável, que não é explicado por outras causas como fome, fraldas que precisam de troca, frio, calor, dentre outros fatores do cotidiano. Além disso, os bebês costumam apresentar posições características de cólica, como ficar com as perninhas encolhidas, gemer ou ainda ruborizar (ficar vermelho) durante uma contração.

O que fazer para aliviar a cólica em recém-nascido?

Segundo recomendações do departamento de Gastroenterologia da Sociedade Brasileira de Pediatra, os pais podem:

  • pegar o bebê no colo e tentar o contato pele a pele;
  • enrolar o bebê em um lençol ou coberta;
  • dobrar as perninhas do bebê sobre a barriga, fazendo movimentos de dobrar e esticar;
  • diminuir os estímulos sonoros e visuais;
  • dar um banho morno ou aplicar compressa morna na barriga;
  • fazer massagem na barriga e movimentos de “bicicletinha” com as perninhas.
Por fim, não é recomendado dar chás, medicações ou tomar outras medidas sem orientação médica. Sempre procure avaliação do pediatra, pois pode não ser cólica o que o seu bebê sente, sendo necessário fazer uma avaliação médica para diagnosticar.

Referências bibliográficas sobre cólica em recém-nascido

1. Wessel MA, Cobb JC, Jackson EB, Harris GS, Detwiler AC. Paroxysmal fussing in infancy, sometimes called “colic”. Pediatrics 1954;14:421-34

2. César JA, Kuhn D, Devens ES, Martins E Jr., Aguiar MRC, Holthausen RS, et al. Prescrição de chás para crianças menores de seis meses: a opinião dos médicos de uma cidade de porte médio no sul do Brasil. J Pediatr (Rio J) 1996;72:27-31.

3. Giugliani ERJ. O aleitamento materno na prática clínica. J Pediatr (Rio J) 2000;76:S238-252.

 

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa nova política de privacidade. Tudo bem Mais detalhes